Post de home

Rogério Vieira_2015_09_04_000062057

Utilizar o corpo como instrumento musical é a proposta essencial do Barbatuques.

Fundado em 1995, o grupo musical paulistano desenvolveu ao longo de sua trajetória uma abordagem única da música corporal através de suas composições, técnicas, exploração de timbres e procedimentos criativos.

A partir de pesquisas e criações de Fernando Barba e também de seu contato com o musico Stênio Mendes, o Barbatuques deu origem a diferentes técnicas de percussão corporal, percussão vocal, sapateado e improvisação musical, desenvolvidas em suas experiências coletivas e somadas à bagagem individual de seus integrantes.

Sua forma inovadora de fazer música e as inúmeras possibilidades de extrair os sons do corpo tornaram o grupo reconhecido e atuante tanto no meio artístico quanto educacional, e resultaram na criação de espetáculos musicais, álbuns, treinamentos e oficinas, que já foram levados a mais de 20 países ao redor do mundo. A trajetória do Barbatuques contribuiu significativamente para a música corporal se tornar mais difundida mundialmente como uma estética contemporânea e uma importante ferramenta educacional.

Formado por 15 integrantes, o Barbatuques percorre o Brasil e o exterior com uma agenda regular de shows e oficinas em empresas, escolas, fundações culturais, instituições educacionais e grandes eventos. O grupo possui três CDs lançados, o mais recente para o público infantil “Tum Pá” (2012), além de “Corpo do Som” (2002) e “O seguinte é esse” (2005) e dos DVD “Corpo do Som ao Vivo” (2007) e “Tum Pá ao Vivo”(a ser lançado no segundo semestre de 2014). Ao longo da carreira, foi contemplado com prêmios como o “Prêmio TIM de Música Brasileira”, como melhor grupo de MPB (2006).

Entre tantos eventos importantes e turnês internacionais, destacam-se: as participações na Copa do Mundo da África (2010) e no evento oficial da FIFA em Johanesburgo para o anúncio da Copa de 2014; a presença nas seis edições já realizadas do International Body Music Festival (nos EUA, Brasil e Turquia); as participações em feiras e exposições como a Feira de livro de Frankfurt (2013)  e  a ExpoShangai (China-2010); apresentações em grandes festivais como Festival Europalia (2011, Bélgica), Paleo e Ella Fritzgerald em Genéve (Suiça – 2008), Festival de Nyon (França – 2008),  Festival Lollapalooza Brasil (2014), além de shows na Espanha, Líbano, EUA, entre outros.

O grupo também participou de espetáculos e gravações junto a artistas como Bobby McFerrin (EUA), Camille (FRA), Çudamani (Indonésia), Keith Terry (EUA), One Giant Leap (UK), Stênio Mendes (BRA) , Badi Assad (BRA) , MarkuRibas (BRA) , Chico César (BRA), Naná Vasconcelos (BRA), Robertinho Silva (BRA), Djalma Correa (BRA), entre outros.

Entre os trabalhos mais recentes, podemos destacar a participação na trilha sonora do filme Rio 2 (2014, FoxFilms/Blue Sky), tanto no “score” como em duas composições originais: “Beautiful Creatures”, interpretada juntamente com Andy Garcia e Rita Moreno, e “Don’t go Away”, interpretada por Anne Hathaway e Flávia Maia.

No mesmo período, o grupo também participou da trilha sonora do premiado filme “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, juntamente com Naná Vasconcelos e Emicida, e atuou na coordenação e preparação de todo o elenco da Rede Globo para o vídeo-clip “Um Novo Tempo”, a tradicional mensagem de fim de ano da emissora. Além disso, o Barbatuques está presente na trilha do documentário Educação.doc (2014), de Lais Bodansky e Luis Bolognesi, que ressalta projetos inovadores dentro da gestão no ensino fundamental público.

A técnica desenvolvida pelo Barbatuques vem sendo cada vez mais utilizada em escolas brasileiras – tanto particulares quanto públicas –  e ganha força entre os educadores pela facilidade de aplicação, simplicidade e baixo custo para as instituições. As atividades propostas pelo grupo desenvolvem a criatividade, a coordenação psico-motora e a percepção de si mesmo e do outro.

O Núcleo Barbatuques está em constante pesquisa artística e pedagógica, e atualmente investe em publicações didáticas e novos espetáculos.